Alopecias cicatriciais – o que é isso? Como identificar o problema?

Alopecias cicatriciais – o que é isso? Como identificar o problema?
maio 20, 2019

É inegável que os cabelos são parte essencial da estética de uma pessoa, e podem também ajudar ou comprometer a autoestima. As chamadas alopecias cicatriciais são condições raras que justamente originam a calvície.

Milhões de pessoas no mundo sofrem com a queda de cabelo e com a calvície. Com o avanço tecnológico e médico, felizmente, muitas soluções foram criadas para contornar alguns casos.

Mas, existem vários quadros diferentes para a calvície. E as alopecias cicatriciais são um deles, e sobre o qual trataremos nesse artigo. Afinal, será que tem solução? é possível reverter esse problema?

Tire todas as suas dúvidas sobre alopecias cicatriciais!

A sua principal característica é que as alopecias cicatriciais são designadas quando os folículos capilares estão completamente danificados ou, como alguns médicos costumam se referir, morrem.

Com essa situação, os fios não crescem mais, e as chances de recuperação dos cabelos dessa área se tornam extremamente escassas. Mas, em alguns casos o transplante capilar pode servir como solução, utilizando de folículos saudáveis de áreas doadoras para restaurar a faixa de cabelo na região calva.

  • Folículos capilares:

Os folículos são responsáveis pela produção dos fios de cabelo e oleosidade natural, e estão presentes em toda a extensão do couro cabeludo.

Quando eles são danificados de forma permanente, essa produção é estagnada, e a região pode passar por um processo de cicatrização. É justamente aí que ocorrem as alopecias cicatriciais.

Alopecias cicatriciais primárias e secundárias: entenda a diferença entre elas!

Como o corpo humano é complexo, e não gosta de facilitar nada para ninguém, temos ainda dois diferentes tipos de alopecias cicatriciais: as primárias e as secundárias! Vamos analisar as diferenças entre elas, e entender suas particularidades.

  • Primária:

As alopecias cicatriciais consideradas primárias são desencadeadas por processos congênitos, autoimunes e/ou inflamatórios e/ou infecciosos.

Muitas doenças podem desencadear esse quadro, e por isso é difícil definir quais são as mais recorrentes, embora a medicina tenha definido algumas causas. No caso da questão autoimune, no entanto, se sabe que o próprio organismo passa a atacar os folículos, gerando um processo de autodestruição.

A principal característica dessa classificação é que, de fato, os folículos capilares são os principais “alvos” dos problemas. O que você verá que é diferente no caso das secundárias.

  • Secundária:

Quando falamos em alopecias cicatriciais secundárias, entendemos que se trata de fatores externos que acabam causando a morte ou danificando definitivamente o folículo capilar, ainda que isso não fosse a intenção. Podemos citar:

  • Queimaduras;
  • Reação a produtos químicos;
  • Tração repetida no couro cabeludo;
  • Exposição à radiação;
  • Infecções virais, bacterianas ou fúngicas;
  • Micoses;
  • Tumores
  • Doenças dermatológicas raras ou de origem genética.

Apesar de esse ser um ataque indireto aos folículos pilosebáceos, os resultados podem ser intensos, promovendo a queda dos cabelos, e a não restauração dos fios.

 

Veja quais são os sintomas das alopecias cicatriciais e como você pode identificar o quadro!

As alopecias cicatriciais se desenvolvem de maneira calma, e podem demorar anos para apresentarem seus primeiros sintomas. Mas é importantíssimo permanecer alerta, pois o diagnóstico precoce é uma das poucas formas e solucionar o caso.

Os sintomas não variam muito. Na maioria das vezes as pessoas identificam uma queda excessiva dos cabelos. Outras podem perceber vermelhidão e ardência no local.

Em pouquíssimos casos, foram relatados o surgimento de placas e pústulas na região do couro cabeludo. Esses sintomas podem aparecer juntos ou isolados.

Também é possível perceber que a pele acaba aparentando mais lisa, pois o furinho por onde o fio deveria passa se fecha durante as alopecias cicatriciais.

Ao identificar o problema, é importante buscar ajuda de um médico rapidamente, pois se o tratamento for iniciado antes da danificação completa dos folículos, as chances de recuperação existem!

O implante capilar pode ajudar na solução?

A identificação do problema precocemente é quase impossível, e quando isso não ocorre, e os folículos morrem, somente o transplante capilar poderá devolver os cabelos a quem sofreu com as alopecias cicatriciais.

Mas isso vai acontecer depois de um determinado período, pois, primeiro, o paciente deverá tratar o quadro para estagnar a doença por completo – garantindo que ela não atinja os novos folículos que serão implantados.

Para isso, poderão ser administrados medicamentos como antibióticos, anti-inflamatórios ou corticosteroides. Depois de completo o tratamento de longa duração com ele, então o implante estará liberado para solucionar as alopecias cicatriciais.